SLIDER

Tamanho 42 Não é Gorda, de Meg Cabot

Heather Wells era uma cantora pop de grande sucesso, que um dia cansou de cantar músicas bobas e decidiu dar voz as suas composições. O resultado foi ser demitida e uma mãe que fugiu com todo o seu dinheiro. Como se tudo isso não bastasse, seu noivo, Jordan, foi pego com outra mulher e ela se vê sem rumo.


"Normalmente eu uso 42, mas hoje experimentei o 42 e fiquei nadando lá dentro. Aconteceu a mesma coisa com o 40. O que é esquisito, porque não fiz nenhum tipo de regime nos últimos dias - a menos que se leve em consideração o adoçante Splenda que eu coloquei no café com leite hoje de manhã. Mas, tenho certeza que o bagel com cream cheese e bacon que acompanhou o café com leite serviram para anular o Splenda. E, também, até parece que eu ando frequentando a academia ultimamente. Não que eu me exercite, é claro. É que eu não faço isto, sabe como é, na academia. Porque a gente queima a mesma quantidade de calorias andando ou correndo. Então, por que correr?"

Título: Tamanho 42 não é gorda
Autora: Meg Cabot
Páginas: 411
Editora: Galera Record

Agora, alguns anos depois, e com alguns quilinhos a mais, ela é a nova diretora-assistente do Conjunto Residencial Fisher. Mora no prédio de seu ex cunhado, Cooper, e vez ou outra é lembrada por seus hits.

Ela está muito feliz com sua vida, até que algo muito estranho acontece em seu local de trabalho. Uma garota é encontrada morta no fundo do poço de um elevador. Os policias e todos os envolvidos tem completa certeza que não se passa de um acidente, mas Wells conhece muito bem os adolescentes e meninas não brincam de elevador. E é quando uma segunda morte acontece que ela decide entrar em uma verdadeira caçada ao suposto assassino.

Vale ressaltar que todos os personagens, principais e secundários, são muito importantes para o desenrolar da história. Cooper e Magda são de longe os meus preferidos neste volume. Ele é o ex cunhado de Heather, atual vizinho, senhorio e paixão de sua vida, que a ajudou em um momento crítico de sua vida. Ela, trabalha no refeitório do Conjunto Residencial Fisher, e é uma grande amiga de nossa protagonista. Há também Pete, um dos seguranças no alojamento. Os diálogos entre ambos os personagens são muitas vezes engraçadíssimos.

O livro é narrado em primeira pessoa, o que nos faz ficar tão próximos da protagonista e por vezes ser teletransportados para New York. Podemos perceber como ela é forte. Mesmo que muitas coisas ruins tenham acontecido em sua vida, por exemplo ser traída por sua mãe e o noivo, ela não se deixou abalar. Deu a volta por cima e começou a conquistar uma nova história.

Eu nunca havia lido alguma obra da Meg Cabot e já nas primeiras deste livro me vi completamente apaixonada por sua escrita e pela Heather. O livro mistura humor, romance, suspense e tem um ar super leve. Me fez torcer pelos personagens e criar mil teorias sobre ter ou não um assassino. A história faz você acabar o primeiro volume da série e já querer iniciar o próximo.

(Este post faz parte do "Especial: Os Mistérios de Heather Wells").

Nenhum comentário

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
© Luna literária • Theme by Maira G.