06 janeiro 2020

Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur

Foto: Luna literária

Outros jeitos de usar a boca
RUPI KAUR
208 páginas
Poemas & Poesias
Planeta de livros Brasil

'outros jeitos de usar a boca' é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Esse é aquele livro que quando lançou todos estavam falando sobre e, quando digo todos, são todos. Por não cair mais nessa onda de livros do momento, resolvi aguardar e ler ele no meu tempo, quando a poeira já estivesse mais baixa. Tirei as minhas próprias conclusões e já adianto, sou do grupo que gosta, mas não é apaixonada pela obra.

Outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas que promete te tocar. Dividido em quatro partes, sendo o amor, a dor, a ruptura e a cura, a obra é carregada de sentimentos, conseguindo ser delicado e destruidor ao mesmo tempo.

Rupi Kaur traz temas sensíveis e importantes do que é ser mulher. A autora aborda abusos, o conhecimento do próprios corpo, relacionamentos maternos, sexo e dores que algumas experiências podem nos trazer. Além de tudo isso, as páginas ainda contam com lindos desenhos que casam perfeitamente com os poemas ali escritos, deixando tudo ainda mais bonito. 

Uma leitura leve, que pode ser finalizada rapidamente, mas que eu, particularmente, indico ser lida e sentida aos poucos. Não tenha pressa! Mesmo assim, ressalto que não é um dos melhores livros de poemas que temos por ai, porém, vale a leitura sim.

“Toda vez que você diz para sua filha que grita com ela por amor, você a ensina a confundir raiva com carinho. O que parece uma boa ideia, até que ela cresce confiando em homens violentos porque eles são tão parecidos com você.”

“Eu não fui embora porque eu deixei de te amar.
Eu fui embora porque quanto mais eu ficava menos eu me amava”.

“Não quero ter você para preencher minhas partes vazias. Quero ser plena sozinha, quero ser tão completa que poderia iluminar a cidade e só aí quero ter você, porque nós dois juntos botamos fogo em tudo”.

E ai, ficou curioso com a leitura? Você que já leu essa obra, gosta ou acha que o hype foi meio desnecessário? Vamos conversar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Luna Literária • ONLINE DESDE 2016 Feito com amor por: Lariz Santana