2.10.18

A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace

Júlia Raquel

“A princesa pulou da torre 
& ela aprendeu que podia voar
desde o começo.”

A princesa salva a si mesma neste livro 
AMANDA LOVELACE
Women are some kind of magic #1
208 páginas
Poesias & poemas
Leya
Onde comprar? Amazon
Avaliação: 4🌟’s

Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace, é comparado ao fenômeno editorial Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur, com o qual compartilha a linguagem direta, em forma de poesia, e a temática contemporânea. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público. Esta é uma obra sobre amor, perda, sofrimento, redenção, empoderamento e inspiração. Dividido em quatro partes ("A princesa", "A donzela", "A rainha" e "Você"), o livro combina o imaginário dos contos de fada à realidade feminina do século XXI com delicadeza, emoção e contundência. Amanda, aclamada como uma das principais vozes de sua geração, constrói uma narrativa poética de tons íntimos e cotidianos que acolhe o leitor a cada verso, tornando-o cúmplice e participante do que está sendo dito.

Com muita amor, perdas, redenções, sofrimento, auto conhecimento, empoderamento, inspiração e resiliência, a autora apresenta a jornada de uma princesa que busca salvar a si mesma dessa sociedade injusta. O livro, que é dividido em quatro partes, é isso, a trajetória de uma mulher que não conhece o próprio poder e aguarda ansiosamente o dia em que alguém virá salvá-la. Será o príncipe encantado? Não, será o amor próprio e a busca pelo próprio final feliz.

“A princesa salva ai mesma neste livro” é uma obra tocante, sensível e destruidor. O livro faz com que o leitor pense sobre o sentido da vida, em como as dificuldades podem melhorar e acima de tudo, como devemos ser nosso próprio super herói. Acho importante ressaltar que a autora trata sobre assuntos como abuso sexual, bullying, luto e preconceito que podem servir sim como gatilho.

Eu nunca fui de ler poesia. Na verdade sempre tive certo receio de não conseguir entender o que o autor queria transmitir. Vejam só, que bobagem a minha. Acredito ter um momento para tudo nessa vida e a minha história com este gênero começou. Após finalizar essa leitura, sai à procura de mais. Poesia é o meu novo estilo favorito. Desejo um dia conseguir me expressar assim também. Dê a você uma chance de conhecer essas palavras.

“Se você sempre
olha para
o seu reflexo
& sente o desejo
de dizer a si mesma
 
que não é
boa o suficiente,
magra o suficiente
gostosa o suficiente,
 
então acho
que é hora
de você quebrar
esse espelho
em pedaços,
não acha?”

Mas e ai, me conta se você ficou curioso com essa estória! Para aqueles que já leram, compartilha comigo como foi à experiência. Beijos e até a próxima.


Continue Lendo
1.10.18

Literalmente amigas, de Laura Conrado e Marina Carvalho

Júlia Raquel


Literalmente amigas
LAURA CONRADO & MARINA CARVALHO
335 páginas
Ficção
Bertrand Brasil
Onde comprar? Amazon
Avaliação: 3🌟’s

Quando Gabi e Lívia, duas apaixonadas por livros, se conheceram em uma comunidade sobre literatura em uma extinta rede social, não imaginavam que se tornariam melhores amigas e que criaram um blog de resenhas literárias, o Literalmente Amigas.
 
Desde então, elas são inseparáveis, apesar das personalidades muito diferentes! Gabi é um pouco avoada, desorganizada financeiramente, de riso fácil e vive uma história de conto de fadas com o namorado de longa data. Já Lívia é assertiva, firme e possui planos bem delineados para seu futuro, embora ainda não tenha encontrado o emprego dos sonhos nem um romance arrebatador como o de seus livros favoritos.

Juntas, elas enfrentam as dificuldades da juventude, seja na profissão, seja no amor, até tudo começar a mudar quando ambas são selecionadas para a mesma vaga — para a qual as duas se inscrevem, sem contar uma para outra — na principal editora do país. Será que a paixão pelos livros, que antes unia as amigas, agora se tornará o motivo do término da amizade?

Gabi e Lívia são amigas desde que se conheceram em uma comunidade voltada para a literatura. A afinidade foi instantânea e logo o amor pelos livros havia unido às garotas. Por isso, quando a ideia de criar um blog literário surgiu, logo aconteceu. Ali nascia o Literalmente Amigas.

Anos depois as jovens já passaram por poucas e boas, mas sempre contando uma com o apoio da outra. Porém, de repente, ambas são selecionados para a mesma vaga de emprego na editora dos sonhos e não conseguem saber como lidar com toda esta situação. Será que as meninas conseguirão separar as coisas e amizade continuará inabalável?

Além da vaga de emprego, outros pontos também são explorados ao longo dos capítulos. A descoberta pessoal sobre o próprio trabalho, a coragem em ir atrás do que sempre sonhou e também dar mais oportunidades para o amor.

O livro é narrado em primeira pessoa e com capítulos que alternam entre Gabi e Lívia. Ou seja, o ponto de vista de ambas sobre um mesmo acontecimento é apresentado para o leitor diversas vezes. Ler uma obra entre uma amizade de blogueiras literárias foi fantástico.

Infelizmente o livro não foi só amores. Confesso que gostei bastante dos capítulos finais, mas considerei o começo bem arrastado e difícil. Não me levem a mal, a escrita das autoras é boa, a ideia para o enredo também, porém acho que foram muitas páginas desperdiçadas no início. Porém, passado a metade inicial, comecei a gostar e ai a leitura fluiu rapidamente para o fim.

Mas e ai, me conta se você ficou curioso com essa estória! Para aqueles que já leram, compartilha comigo como foi à experiência. Beijos e até a próxima.
Continue Lendo
30.9.18

Heroínas, de Laura Conrado & outras

Júlia Raquel
Foto: Luna literária
Heroínas
LAURA CONRADO, PAM GONÇALVES & RAY TAVARES
256 páginas
Jovem adulto
Galera Record
Onde comprar? Amazon
Avaliação: 4🌟’s

Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente.

Heroínas é um livro de contos composto por três adaptações de histórias clássicas: Rei Arthur, Robin Wood e os Três mosqueteiros. Além de ser ambientado nos dias atuais, o protagonismo desses enredos também está diferente. Aqui as mulheres são o centro de toda atenção.

“Uma por todas e todas por uma”, da autora Laura Conrado, nos apresenta a personagem Daniela d’Artagnan, A jovem que é apaixonada pelos animais sonha em ser uma grande veterinária e de quebra trabalhar na reconhecida ONG Mosqueteiros. Parte desse desejo se torna realidade, porém a caminhada durante o trajeto não é nada fácil, mas traz novas e boas amizades para a vida da garota.

“Formandos da távola redonda”, da escritora Pam Gonçalves, conta a história de Marina, uma jovem que está prestes a terminar o ensino médio, mas vê o sonho da formatura ir por água abaixo quando o dinheiro do evento é roubado. Além de todo o estresse do fim da escola, vestibular e o próprio amadurecimento, Marina e outras garotas da escola vão precisar assumir a comissão de formatura e fazer um milagre para que tenham a tão sonhada festa. É bom que já sabemos que o poder feminino faz coisas!

“Robin, a proscrita” aborda a vida de Roberta Horácio, uma jovem que foi adotada quando ainda bebê e viu os pais serem assassinados na comunidade onde mora. Com faro para encrenca e uma vontade imensa de mudar o mundo, a garota logo se vê como uma justiceira ao desviar dinheiro da conta de um pastor totalmente corrupto. O problema? Esse trabalho é muito mais perigoso do que parece.


“Eu aprendi a escutar e a valorizar a fala da outra, ainda que, às vezes, seja uma fala diferente da minha; a voz de toda mulher deve ser respeitada. Sonoridade é isso, né? É a gente se reconhecer uma na outra”.

A leitura de todos os contos é totalmente leve, fluída e recheada por personagens cativantes. É fácil sentar para ler e logo virar a última página dessa obra. Ou seja, é daqueles livros perfeitos para uma tarde de leitura. Além disso, conseguiu cumprir a proposta perfeitamente, já que nos apresenta a força feminina e a importância da amizade entre as mulheres.

Dessa vez também me sinto na obrigação de destacar o lindo trabalho de diagramação realizado pela Galera Record, desde a capa com as cores e desenhos mais lindos, até os detalhes que dividem os contos. Estão de parabéns!

E ai, você ficou curioso com essa leitura? Quem já leu, o que achou?
Continue Lendo
29.9.18

Tema do mês: pós-apocalíptico

Júlia Raquel
Foto: Luna literária


Eu não sei vocês, mas eu amo estórias que envolvam o fim do mundo, doenças que acabam com a sociedade ou ataques que façam com que os humanos fiquem a flor da pele.

Filmes como “Eu sou a lenda”, “Contágio”, “Guerra mundial z”, “O dia depois de amanhã”, “Fim dos tempos”, “A guerra dos mundos” e “Resident Evil”; ou séries como “The walking dead”, “Fear the walking dead”, “Containment”, “The Rain” “The 100” e “The Last Ship”; estão na minha lista de mais assistidos e favoritos.

E, como já era de se esperar, com os livros isso não seria diferente. Por isso, neste mês de outubro (que já está na porta), especialmente aos sábados, teremos postagens dedicadas a dicas de livro, série e filme desse gênero.

Estou bem empolgada e a ideia é trazer mensalmente um tema diferente. Então você já sabe né, vou precisar de ideias para os próximos meses. Além disso, já quero saber quais são as suas obras favoritas que envolvem o tema Pós-apocalíptico. Vamos conversar aqui nos comentários, espero por você!
Continue Lendo
28.9.18

O tipo certo de garota errada, de A. C. Meyer

Júlia Raquel
Foto: Luna literária

O tipo certo de garota errada
A. C. MEYER
As garotas #1
280 páginas
Romance
Galera Record
Onde comprar? Amazon
Avaliação: 4🌟’s

O início da vida adulta não é nada fácil. Principalmente se você não é exatamente aquele tipo certo de garota. Aquele que frequenta todas as aulas da faculdade que o pai escolheu e sabe o que quer. O orgulho do papai e da mamãe. Aquele tipo de garota com o cabelo perfeito e hábitos saudáveis. Malu não é nada disso. Por outro lado, ela vive plenamente, como se cada dia fosse o último, e nada parece abalar sua coragem e determinação. Em meio a um problemático relacionamento com os pais, ela começa a faculdade de Direito a contragosto e lá conhece Rafael. Rafa está terminando o curso e os dois se tornam inseparáveis. Mas é só amizade. Até outro sentimento começar a falar mais alto. Com a atração se tornando incontrolável Malu e Rafa se permitem viver uma relação sem compromissos: livre, mas ao mesmo tempo intensa e apaixonada.  Até que o destino os coloca diante de uma armadilha cruel. Pode o amor ser mais forte que o medo de amar?

Malu não é o tipo certo de garota que a sociedade aprova. Mas, na verdade, quem é? Estudante de direito, a jovem sonha com o dia que irá cursar a graduação desejada: artes plásticas. Forçada pelos pais a escolher a carreira de advogada, a família rica tentou controlar a mulher, mas desde a adolescência a rebeldia falou mais alto.

A artista vive cada dia como se fosse o último e não tem medo da vida. Com cabelos coloridos, diversas tatuagens, sem papas na língua, Malu consegue ser única. E, foi isso que chamou a atenção de Rafael, também estudante de direito.

Rafa é formando quando conhece a jovem, mas a amizade ultrapassa os muros a universidade e se tornam inseparáveis. Até que uma química antes ignorada faz rolar um clima e tanto entre os dois. O casal que tem medo do amor então decide viver uma relação sem compromissos. Será que essa ideia pode dar certo? A amizade continuará a mesma?

Esse livro é o tipo de leitura que consegue ser engraçada e tocante ao mesmo tempo. Foi incrível como eu devorei essas páginas e só descansei ao virar a última. Coloco a culpa disso na escrita da autora A. C. Meyer, que além de ser leve, me envolveu facilmente.

Os personagens são fortes, encantadores e de uma personalidade única. A autora nos mostra como é possível levar alegria e ser luz, mesmo quando tristezas assolam o passado. Além disso, os acontecimentos finais do livro são capazes de amolecer qualquer coração. Leitura recomendada!

E ai, você ficou curioso com essa leitura? Quem já leu gostou? Vamos conversar nos comentários.
Continue Lendo
27.9.18

Três motivos para ler: Um de nós está mentindo (+ trechos do livro)

Júlia Raquel
Foto: Luna literária

“Um de nós está mentindo” é um jovem adulto com aquele quê de suspense que faz o leitor devorar as páginas. Ao menos foi isso que aconteceu comigo. Por isso, hoje trago para vocês três motivos para lerem essa obra e alguns trechos para despertar ainda mais o seu interesse.

Motivo um: o suspense
A autora monta todo um cenário e faz com o leitor desconfie de cada personagem. Quando você acha que sabe quem é o assassino, puff, muda de ideia. Confesso, eu particularmente matei a charada ainda na primeira parte da estória, mas isso não acabou com a beleza do livro. Ao contrário, quis chegar logo ao fim para saber se minha teoria estava certa.

“Não sei por que é tão difícil para as pessoas admitirem que, às vezes, são simplesmente babacas que fazem merda porque não esperam ser descobertas”.

Motivo dois: a escrita da Karen M. McManus
A escrita da autora é simplesmente viciante, mas de forma leve, simples e totalmente fluído. O livro é muito bem construído, com personagens cativantes e uma narração bem legal que vai alternando entre os personagens, fazendo o leitor ter mais informações e visões diferentes sobre os acontecimentos.

“Ninguém gostava do Simon, mas estão todos com velas na mão, como se fosse uma espécie de mártir em vez de um babaca fofoqueiro”.

Motivo três: os personagens
Tem coisa melhor do que torcer pelos personagens do livro? Em “Um de nós está mentindo” é fácil se envolver com os protagonistas. Sinto que todos eles crescem e amadurem ao longo dos capítulos e confesso, o meu favorito é o Nate, o criminoso.

“A não ser que um de nós esteja mentindo. O que é sempre uma possibilidade”.

Você pode ler a resenha da obra clicando aqui. E ai, você ficou curioso com a leitura? Quem já leu, assim como eu também gosta? Até o próximo post!

Continue Lendo
26.9.18

Livro que virou filme: Para todos os garotos que já amei

Júlia Raquel
Foto: Luna literária

Oi gente, como vocês estão nessa sexta-feira? Por aqui está tudo ótimo e sextando da melhor maneira possível, afinal saiu à adaptação de “Para todos os garotos que já amei”. Eu assisti ao filme ainda pela manhã, logo após acordar e desde então não consigo parar de pensar em tudo o que aconteceu.

A adaptação está muito fiel, os atores escolhidos ficaram perfeitos nos respectivos papeis, os cenários são lindos e do jeitinho que imaginei, mas eu achava que o Peter era mais loiro hahahahhaha!

Brincadeiras a parte – ou não –, este foi uma das melhores adaptações que já assisti até o momento e isso me deixa muito feliz, pois eu amo essa estória.

Claro que alguns pontos estão diferentes, algumas cenas ficaram de fora e outras foram mudadas. Porém, a essência de toda a obra está ali. A doçura das irmãs Song está ali. E o Peter, o cara mais charmoso dos livros, está ainda mais encantador – Noah nasceu para esse papel.

Agora, vamos a algumas curiosidades e coisas que mais gostei:
  • A Jenny Han aparece no filme, então preste atenção;
  • O motivo pelo qual a Kitty envia as cartas mudou e isso foi incrível, pois ficou muito melhor;
  • Todos os personagens tem senso de humor e isso arranca algumas risadas do telespectador, também deixando o filme ainda mais leve e divertido;
  • As roupas da Lara Jean são incríveis e eu juro quero o guarda-roupa dela;
  • A trilha sonora do filme também está fantástica e não vejo a hora de achar uma playslit no Spotify;
  • O filme não termina exatamente como o livro, há um pouquinho de “P.S.: amo você” também, mas sem grandes spoilers para aqueles que ainda não leram a sequência;
  • Não há a cena do Halloween, a paixão por colagens da Lara Jean, o acidente de carro ou o antiquário da mãe do Peter, consequentemente não há pingente de coração; e
  • O filme tem uma cena pós-créditos que deixa um gancho para uma continuação, ou seja, encha as redes sociais da Netflix Brasil de mensagens contando como adorou o filme e como super quer as outras adaptações.

Ai gente é isso! Nesse momento em que o post está sendo publicado eu estou na faculdade e já pensando que assim que chegar vou assistir novamente ao filme porque REALMENTE AMEI!

Vocês já assistiram? Vamos conversar sobre e compartilhar nosso amor por essa estória.
Continue Lendo
Luna Literária • 2017 Ilustração: Matheus Izaldo | Feito com amor por: Lariz Santana